Gobby collaborative real time editor software

7 11 2007


Estava em casa do Tiago (Guedes, 4, malas) mais o Pedro Pereira a trabalhar para DSS, diagramas de Use Case para aqui, diagramas de actividade para ali e já estava a sentir-me mal disposto com tantas caixinhas. Decido ir ter com os restantes moradores da casa, Rui Freitas e Tino, depois de uma troca de pontos de vista no que diz respeito ao semipresidencialismo como forma de governo apimentada com variadas referências a mamíferos cetáceos volto ao quarto do Guedes. Estavam a fazer uns rascunhos das classes no Gobby… Desconhecia por completo o mundo dos editores cooperativos, nunca tinha precisado…

O Gobby, que foi o que experimentei, é um editor de texto cooperativo on the fly excelente para este tipo de situações, brainstorms, etc. Muito fácil de instalar e super intuitivo. Em menos de um minutos já estava a contribuir. O único ponto negativo da aplicação é que não permite fazer Undo (CTRL+z). Viemos a descobrir isto pelo método empírico.

Para windows descobri o CoWord, que pelos vistos é uma espécie de plugin para o MSWord, dizem eles que transforma o MSWord num processador de texto cooperativo. Ainda existe o CoPowerPoint que permite o mesmo efeito para o MSPowerPoint.

Referências:

Advertisements




Haskell history

27 10 2007

Haskell is so far one of my favorite programming languages, I don’t know if you noticed (lolz). Because it is ease of proof, no side effects, strongly typed, polymorphic, powerful, elegant and so much more.

Yesterday I was searching if there were any report talking about Haskell authors, other than Simon Peyton Jones or Paul Hudak. What I found out much more than I expected. I’ve found the History of Haskell paper. The paper that was published at 3rd History of Programming Language Conference in June 2007.

I start reading immediately, it was fascinating… The paper is a bit long (55 pages in two columns style), but deserves attention. The history is told for those who made History, Simon Peyton Jones, Paul Hudak, John Hughes and Philip Wadler, the main authors.

Haskell principles, ideology, implementations, tools – Haskell world, are in this paper. This document is excellent for those who want to learn Haskell or just know it history.

References:

Haskell Wikipedia entrance

IFIP WG 2.8





O primeiro

22 10 2007

Finalmente agora tenho tempo para começar o blog à séria, depois de algumas tentativas no passado, algumas das quais até bem sucedidas, mas que não se enquadravam no que pretendo actualmente.

Não gosto de fazer muitas apresentações no primeiro post pois já existe o “about” para esse efeito.

Vou usar este blog como um “album” de recordações de momentos que achei interessantes, de pessoas que acho interessantes, meus pontos de vista sobre temas que merecem a minha atenção, de tecnologias que aprend(i/o), de projectos, experiências, opiniões, citações, piadas e o que mais me der na telha. Sempre com o intuito de que seja interessante para quem também o lê…

De longe que não sou o gajo chato que fala de temas que ninguem compreende… ok um bocadinho! Mas estou pronto a explicar para quem estiver interessado.

putStrLn "Hello New World!"

No mês de Setembro fui convidado pelo André Gomes, meu camarada companheiro de curso, amigo desta vida, a participar no programa Microsoft Student Partners (site do programa) na Microsoft Portugal.

Muito entusiasmado com a ideia lá perguntei o que deveria fazer, quando dou por mim, uns dias depois, já estava a receber uma chamada do Miguel Vicente, Microsoft Student Partner Lead, que depois de uma conversa muito agradável me propõe ir a Lisboa para ter uma entrevista com Bruno Gonçalves, Recursos Humanos da Microsoft Portugal.
Uns dias depois lá fui, com o Bruno Tavares, a Isabel Machado e o Fábio Rodrigues que iam para o mesmo.
Conhecemo-nos pelo caminho, três horas (sim! o Bruno dá-lhe bem…) com poucos momentos de silêncio, em que se falou de várias tecnologias, linguagens (afinal na FCUP também se dá Haskell…) e experiências.
Chegamos a Lisboa para a entrevista… Depois de conhecer o Miguel, de um almoço/lanche no TagusPark, de esperar um bocado, da entrevista do Fábio, da Isabel, da minha, da do Bruno lá voltamos para o Porto (lolz)… Fomos todos seleccionados! Somos oficialmente MSPs 😀

Fiquei fascinado com as instalações da Microsoft Portugal, um espaço aberto, onde desde inicio me senti muito bem recebido. Notava-se que estávamos numa empresa que tinha ideais mais à frente do que ter lucro.

À vinda para o Porto o carro do Bruno foi pó galheiro, chegamos atrasados umas 3 ou 4 horas do previsto.

Muito mais há a contar sobre esse excelente dia e as pessoas que conheci, mas deixarei isso para os futuros posts.